CONSEQUÊNCIAS DO USO DE ECSTASY



O ecstasy abafa os sinais naturais de alerta dados pelo corpo. Como resultado, depois de tomar a droga, um indivíduo está arriscado a ultrapassar os seus limites físicos e sua capacidade de resistência. Por exemplo, uma pessoa sob efeito de ecstasy pode não perceber que ultrapassou a temperatura normal do corpo e pode desmaiar ou mesmo morrer de ataque cardíaco.

Um estudo feito pelo Centro de Pesquisa para Trabalho Social da Universidade do Texas descobriu que os efeitos a longo prazo do ecstasy relatados com mais frequência incluíam depressão e uma menor capacidade de concentração. Os pesquisadores descobriram também que o uso repetido de ecstasy está associado com perturbações de sono, humor e ansiedade, tremores ou espasmos e problemas de memória.

“Com muita sorte, estou viva, mas ficaram marcados na minha memória os dias, meses e anos após o trauma. Tenho de lidar com o que me aconteceu para o resto da minha vida... Usava de tudo. Algumas das coisas que me afetaram depois de tomar ecstasy foram depressão, ansiedade, stress, pesadelos [recorrentes] e dores de cabeça graves. Eu quase morri. Bastou uma noite, alguns comprimidos [de ecstasy] e beber álcool. Esta droga é muito fatal, e estou muito agradecida por estar viva. Não consigo descrever como é difícil lidar com estes pesadelos o tempo todo. Acordo com suores só agradecendo a Deus, agradecida por ser só um pesadelo. Rezo para que os pesadelos desapareçam com o tempo... Nenhuma droga vale uma ‘viagem’ ou um ‘barato’.”  — Megan