ANALGÉSICOS: UMA BREVE HISTÓRIA

Opioides altamente viciantes, derivados da papoula, vêm sendo usados há milênios com fins recreativos e medicinais. Crédito fotográfico: AP Wideworld
Opioides altamente viciantes, derivados da papoula, vêm sendo usados há milênios com fins recreativos e medicinais.

Crédito fotográfico: AP Wideworld

Os opioides, originalmente derivados da papoula, vêm sendo usados há milênios com fins recreativos e medicinais. A substância mais ativa no ópio é a morfina, que recebeu esse nome por causa de Morfeu, o deus grego dos sonhos. A morfina é um analgésico muito potente, mas também causa muita dependência.

No século XVI, o láudano, preparado líquido medicinal em que o ingrediente principal é o ópio, era usado como analgésico.

 Crédito fotográfico: AP Wideworld

Crédito fotográfico: AP Wideworld

A morfina foi extraída do ópio na sua forma pura pela primeira vez no início do século XIX. Foi usada amplamente como analgésico durante a Guerra Civil Americana e muitos soldados ficaram dependentes.

A codeína, uma droga menos potente encontrada no ópio, mas que pode ser sintetizada pelo homem, foi isolada pela primeira vez na França em 1830 por Jean Pierre Robiquet, para substituir o ópio bruto com propósitos medicinais. É usado principalmente como remédio para a tosse.

A morfina, a substância mais ativa no ópio, é um analgésico muito poderoso do qual muitos soldados americanos ficaram dependentes durante a Guerra Civil. Crédito fotográfico: AP Wideworld
A morfina, a substância mais ativa no ópio, é um analgésico muito poderoso do qual muitos soldados americanos ficaram dependentes durante a Guerra Civil.

Crédito fotográfico: AP Wideworld

No início do século XIX, o uso do ópio para recreação cresceu e, em 1839, a dependência britânica da droga alcançou o maior nível de todos os tempos. Em 1839, os britânicos enviaram navios de guerra para a costa da China em resposta à tentativa da China de acabar com o tráfico de ópio, dando início à “Primeira Guerra do Ópio”.

Em 1874, químicos tentando encontrar uma forma de morfina que causasse menos dependência criaram a heroína. Mas a heroína tinha o dobro da potência da morfina e o vício da heroína logo se tornou um problema sério.

Um frasco de comprimidos de codeína — todos os opioides aliviam temporariamente a dor, porém são altamente viciantes.
Um frasco de comprimidos de codeína — todos os opioides aliviam temporariamente a dor, porém são altamente viciantes.

Em 1905, o Congresso dos EUA proibiu o ópio e no ano seguinte o Ato do Alimento Puro e Drogas exigiu rotulagem para identificação da composição de todos os medicamentos.

A metadona foi sintetizada pela primeira vez em 1937 pelos cientistas alemães Max Bockmühl e Gustav Ehrhart na empresa IG Farben. Eles estavam pesquisando um analgésico que pudesse ser usado mais facilmente durante cirurgias, que não causasse tanta dependência química como a morfina ou heroína.

No entanto, muitos acreditavam que a metadona causava ainda mais dependência do que a heroína.

Enquanto isso, o comércio ilícito de ópio explodiu. Por volta de 1995, o sudeste da Ásia produzia 2.500 toneladas anuais.

Novos analgésicos chegaram ao mercado com aprovação da FDA (Administração para Drogas e Alimentos dos EUA): Vicodin em 1984, OxyContin em 1995 e Percocet em 1999.

Todos estes são opioides sintéticos (produzidos pelo homem) que imitam os analgésicos naturais do corpo.