AS DROGAS SINTÉTICAS

“Depois de usar Spice por várias semanas, acordei uma madrugada, caí no chão, não conseguia mexer as pernas e não conseguia mexer os quadris. Tudo o que consegui fazer foi me arrastar, apoiado nos meus antebraços, e como não conseguia chegar a lado nenhum, fiquei no chão por 13 horas, gritando, batendo no chão e pedindo ajuda. Os médicos disseram que mais duas horas e estaria morto. Vou ficar muito tempo no hospital.”  L.D.

“Quero compartilhar minha experiência com o K2. Isso arruinou minha vida. Quando fumei K2 pela primeira vez, foi como se tudo se dissolvesse e parecesse ser uma imagem distorcida na tela da TV. Lembro que pensei: ‘Isto é o inferno.’ Só conseguia sentir um medo terrível. Ouvia vozes de parentes, tinha flashbacks de quando eu era mais novo, foi a pior experiência que já tive. Tremia incontrolavelmente e ficava apavorado e doente. Desde aquele dia, tenho uma ansiedade horrível diariamente. Tive que abandonar a escola devido ao forte estado de ansiedade.” J.W.

“Sou um usuário de drogas experiente e não dá pra contar nos dedos quantas drogas já experimentei. Os Sais de Banho são mais perigosos que o crack. O bode que isso dá foi a pior coisa que já passei na vida. Durou 9 horas. O que sentia era só medo, palpitações cardíacas, perturbações, náusea intensa e parecia que tudo se movimentava a 1 milhão de quilômetros por hora. Foi terrível. Por causa desta experiência nunca mais vou usar drogas. Tenho sorte de ainda estar vivo para alertar você. FIQUE BEM LONGE DISTO…” E.W.

“Senti que a minha mente estava se esfacelando e continuava a duvidar de tudo o que tinha feito ou dito… Acho que tive um tipo de stress pós-traumático depois desta experiência. Senti que tinha desenvolvido uma fobia social porque não conseguia falar com estranhos e achava que teria um ataque de ansiedade só de olhar nos olhos de alguém… O 25I-NBOMe NÃO é brincadeira… Nunca mais vou usar 25I.” F.M.

Veja Também:

Solicite um livreto GRATUITO: A Verdade sobre as Drogas Sintéticas
Assista ao Anúncio de Utilidade Pública: “Baratos Lícitos”