O QUE É A MACONHA?

Maconha é a palavra usada para descrever as flores, sementes e folhas secas da planta de cânhamo indiano. Na rua, é chamada por muitos outros nomes, tais como: bagulho, marola, beck, biricutico, erva, cangonha, papel de galo, bango, breu, fino, hemp, dona juanita, ganja, caroçuda.

Haxixe é uma variação da droga, feita a partir das resinas da planta de cânhamo indiano. Também é chamado de chocolate, hash ou shit nos EUA e é, em média, 6 vezes mais forte que a maconha.

O termo cannabis descreve qualquer uma das diferentes drogas que provêm do cânhamo indiano, incluindo maconha e haxixe.

Independentemente do nome, esta droga é um alucinógeno — uma substância que distorce a forma como a sua mente percebe o mundo em que você vive.

O composto químico na cannabis que cria esta distorção é conhecido por “THC”. A quantidade de THC encontrada em qualquer quantidade de maconha pode variar substancialmente, mas, geralmente, a porcentagem de THC tem aumentado nos últimos anos.

Como é usada?

A maconha é uma mistura de folhas, caules, flores e sementes secas da planta do cânhamo. É geralmente de cor verde, marrom ou cinza.
A maconha é uma mistura de folhas, caules, flores e sementes secas da planta do cânhamo. É geralmente de cor verde, marrom ou cinza.
Haxixe é uma resina cor de canela, marrom ou preta que é seca e apertada em formato de barras, pauzinhos ou bolas. Quando fumados, tanto a maconha como o haxixe exalam um aroma doce e distinto.
Haxixe é uma resina cor de canela, marrom ou preta que é seca e apertada em formato de barras, pauzinhos ou bolas. Quando fumados, tanto a maconha como o haxixe exalam um aroma doce e distinto.

A maconha é a droga ilícita mais comumente usada no mundo. Uma pesquisa sobre o uso de drogas no Brasil feita pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) mostra que mais de 3 milhões de adultos brasileiros com idades entre 18 e 59 anos fumaram maconha em 2012.

A maconha é normalmente fumada como um cigarro (baseado), mas também pode ser fumada usando um cachimbo. Com menos frequência, é misturada com alimentos e ingerida ou preparada como chá. Às vezes, os usuários abrem cigarros e tiram o fumo, misturando-o com maconha. Algumas vezes outras drogas mais potentes são adicionadas aos becks e baseados, como o crack ou PCP (fenciclidina, um alucinógeno poderoso).

Quando uma pessoa fuma um baseado, normalmente sente os efeitos da maconha em alguns minutos. As sensações imediatas — aumento do ritmo cardíaco, diminuição da coordenação motora e equilíbrio, e um estado mental irreal, como se fosse um sonho — alcançam o seu auge dentro dos primeiros 30 minutos. Estes efeitos de curto prazo desaparecem gradualmente, normalmente em duas ou três horas, mas podem permanecer mais tempo, dependendo da quantidade consumida pelo usuário, da potência do THC e da presença de outras drogas introduzidas na mistura.

Como o usuário típico inala mais fumo e o segura por mais tempo do que o faria com um cigarro, um baseado causa um impacto severo nos seus pulmões. Além do desconforto, acompanhado de dores de garganta e bronquite, descobriu-se que usar um baseado expõe o usuário a elementos químicos cancerígenos equivalentes a 5 cigarros.

As consequências mentais do uso da maconha são igualmente severas. Em relação aos não usuários, os usuários de maconha têm memória e capacidade mental reduzidas.

Animais que receberam maconha em testes de pesquisadores tiveram danos estruturais em seus cérebros.

A marijuana, quando vendida, é uma mistura de folhas, caules, flores e sementes secas da planta do cânhamo. É geralmente de cor verde, castanha ou cinzenta.

O haxixe é uma resina cor de canela, castanha ou negra que é seca e pressionada em barras, paus ou bolas. Quando são fumados, tanto a marijuana como o haxixe emitem
um aroma doce e característico.

Há mais de 400 químicos na marijuana e haxixe.1 O químico que causa a intoxicação ou a “pedrada” nos consumidores é chamado THC (abreviatura de tetra‑hidrocanabinol). O THC cria efeitos que alteram a mente que classifica a marijuana como uma “droga”.

As plantas, tal como os animais, têm características que as protegem na natureza. As plantas podem ter cores ou padrões que as camuflam de predadores ou podem conter venenos ou toxinas que, quando ingeridos, adoecem os animais ou alteram a sua capacidade mental, pondo‑os em risco na natureza. O THC (Tetra‑hidrocanabinol) é o mecanismo protetor da planta da marijuana.

Intoxicação significa literalmente “envenenar por tomar uma substância tóxica para dentro do corpo”. Qualquer substância que intoxica causa mudanças no corpo e na mente. Esta pode criar vício ou dependência, fazendo com que a pessoa queira consumir essa droga mesmo que isso a prejudique.

Poderá ter ouvido alguém dizer que porque a marijuana é uma planta, esta é “natural” e dessa forma é inofensiva. Mas não é. Cicuta, uma planta venenosa, é também “natural”, mas pode matar.

A outra coisa a saber é que queimar folhas secas e botões e inalar o fumo para dentro dos vossos pulmões definitivamente não é “natural” é como fumar cigarros, pode ser prejudicial para o vosso corpo.

Quanto ao uso medicinal de marijuana, contém outra substância química chamada CBD (abreviatura de canabidiol). Esta é a substância mais frequentemente associada com a criação de benefícios médicos. Ao contrário do THC, o CBD não causa uma pedrada.2 Os seus benefícios médicos ainda estão a ser estudados, tal como os métodos para criar plantas de marijuana com elevado CBD e baixo THC para uso médico.

A marijuana é uma droga tal como o álcool, a cocaína ou o ecstasy. E como estas outras drogas, tem efeitos adversos que podem ser nocivos.

Como é que é consumida?

A marijuana é uma mistura de folhas, caules, flores e sementes secas da planta do cânhamo. É geralmente de cor verde, castanha ou cinzenta.
A marijuana é uma mistura de folhas, caules, flores e sementes secas da planta do cânhamo. É geralmente de cor verde, castanha ou cinzenta.
O haxixe é uma resina cor de canela, castanha ou negra que é seca e pressionada em barras, paus ou bolas. Quando são fumados, tanto a marijuana como o haxixe emitem um aroma doce e característico.
O haxixe é uma resina cor de canela, castanha ou negra que é seca e pressionada em barras, paus ou bolas. Quando são fumados, tanto a marijuana como o haxixe emitem um aroma doce e característico.

A marijuana pode ser fumada como um cigarro (charro), mas também pode ser fumada num cachimbo seco ou um cano de água conhecido como um “bong”. Também pode ser misturada com alimentos e comida ou preparada como chá. Estas são chamadas “comestíveis” e são tratadas em detalhe mais adiante neste folheto. Algumas vezes, os consumidores abrem os cigarros e tiram o tabaco, misturando‑o com erva, chamada uma “ganza”. Os charros e as ganzas são algumas vezes adicionados a outras drogas mais potentes, tais como o crack cocaine ou PCP (fenciclidina, um alucinogénio muito poderoso).

Quando uma pessoa fuma um charro ou um cachimbo, normalmente sente os seus efeitos em minutos. As sensações imediatas — aumento do ritmo cardíaco, diminuição da coordenação e equilíbrio e um estado mental irreal e de “sonhador” — alcançam o seu auge nos primeiros 30 minutos.3 Estes efeitos a curto prazo desaparecem normalmente em duas ou três horas, mas podem durar mais tempo, dependendo da quantidade tomada pelo consumidor, da potência do THC e da presença de outras drogas adicionadas à mistura.

Como o consumidor típico inala mais fumo e o segura mais tempo do que faria com um cigarro, um charro cria um impacto severo nos pulmões duma pessoa. À parte do incómodo que se associa à dor de garganta e resfriados, descobriu‑se que o consumo de um charro expõe tanto aos químicos produtores de cancro como se fumasse 4–5 cigarros.4

As consequências mentais do uso da marijuana são igualmente severas. Os fumadores de marijuana têm memória e aptidão mental mais fracas do que os não fumadores.5

Estudos recentes em jovens que fumam marijuana, encontraram anormalidades no cérebro relacionadas com a emoção, motivação e tomada de decisão.6