OS EFEITOS DESTRUTIVOS DA HEROÍNA

“As drogas são sinônimo de morte. Se você não faz nada para largar, acaba morrendo. Ser dependente químico é estar aprisionado. De início, você pensa que as drogas são amigas (parecem ajudar você a escapar das coisas ou sentimentos que o incomodam). Mas logo se vê acordando de manhã só pensando em drogas.

“Gasta o seu dia inteiro procurando ou usando drogas. Você fica baratinado todas as tardes. À noite, usa heroína para poder dormir. E você vive só para isso. Está numa prisão. Bate com a cabeça na parede sem parar, mas isso não te leva a lugar nenhum. Por fim, a sua prisão vira a sua tumba.” — Sabrina

 


DANOS IMEDIATOS: Os efeitos iniciais da heroína incluem um aumento das sensações — uma euforia. Isso é acompanhado frequentemente de uma sensação de calor na pele e boca seca. Algumas vezes, a reação inicial inclui vômitos ou coceiras muito fortes.

Depois que esses efeitos iniciais passam, o consumidor fica sonolento durante várias horas. As funções básicas do corpo, como respiração e batimento cardíaco, ficam lentas.

Algumas horas depois da redução dos efeitos da droga, o corpo do usuário dependente começa a “implorar” por mais. Se não consegue outra dose, começa a sentir a abstinência. A abstinência inclui efeitos físicos e mentais extremos, até o corpo receber a próxima dose de heroína. Os sintomas da abstinência incluem insônias e dores nos ossos, diarreia, vômitos e desconforto muito intenso.

O barato intenso que o usuário procura dura apenas alguns minutos. Com o uso contínuo, precisa de quantidades cada vez maiores da droga só para poder se sentir “normal”.

Efeitos a curto prazo:

  • Euforia
  • Respiração lenta
  • Funções mentais reduzidas
  • Náuseas e vômitos
  • Sedação, sonolência
  • Hipotermia (temperatura do corpo abaixo da normal)
  • Coma ou morte (por overdose)