POR QUE AS PESSOAS USAM DROGAS?

As pessoas usam drogas porque querem mudar algo nas suas vidas.

Aqui estão algumas razões que os jovens deram para usar drogas:

  • Adaptar-se
  • Escapar ou relaxar
  • Aliviar o tédio
  • Parecer adulto
  • Rebelar-se
  • Experimentar

Eles pensam que as drogas são uma solução, mas, no fim, as drogas tornam-se o problema.

Mesmo quando os problemas que se têm de enfrentar são difíceis, as consequências do uso de drogas sempre serão piores que o problema que se está tentando resolver. A resposta real é obter os fatos e, em primeiro lugar, não usar drogas.

Como as Drogas Funcionam?

As drogas são essencialmente venenos. A quantidade usada determina o efeito.

Uma quantidade pequena é um estimulante (dá energia). Uma quantidade maior age como sedativo (entorpece). Uma quantidade ainda maior age como veneno e pode matar.

Isto é verdade para qualquer droga. A única coisa que varia é a quantidade necessária para conseguir o efeito desejado.

Mas muitas drogas têm outro risco: elas afetam diretamente a mente. Podem distorcer a percepção do usuário em relação ao que está acontecendo ao seu redor. Como resultado disto, as ações da pessoa podem ser estranhas, irracionais, inadequadas e até destrutivas.

As drogas agrupam todas as sensações, as desejáveis com as não desejadas. Dessa forma, enquanto proporcionam alívio da dor a curto prazo, também destroem as habilidades e o estado de alerta e confundem os pensamentos.

Os medicamentos são drogas usadas para acelerar, diminuir ou mudar alguma função do corpo para tentar fazê-lo trabalhar melhor. Algumas vezes são necessários. Mas, ainda assim, não deixam de ser drogas: atuam como estimulantes ou sedativos, e uma grande quantidade pode matar. Então, se você não utiliza os medicamentos da forma como devem ser utilizados, podem ser tão perigosos como as drogas ilícitas.

As Drogas Afetam a Mente

Crédito fotográfico: Alamy
Crédito fotográfico: Alamy

Normalmente, quando uma pessoa recorda algo, a mente é muito rápida e a informação é trazida rapidamente. Mas as drogas distorcem a memória, causando pontos em branco. Uma pessoa não consegue obter informações nessa confusão. As drogas fazem a pessoa sentir-se lenta ou estúpida e causam fracassos na vida. Quanto mais fracassos uma pessoa tem e quanto mais dura a vida se torna, ela quer mais drogas para ajudá-la a lidar com o problema.

As Drogas Destroem a Criatividade

Uma mentira sobre as drogas é que elas ajudam uma pessoa a ficar mais criativa. A verdade é completamente diferente.

Alguém que está triste poderia usar drogas para obter um sentimento de felicidade, mas não funciona. As drogas podem dar um falso contentamento à pessoa, mas quando o efeito da droga se dissipa, ela fica numa situação muito pior do que antes. A cada vez, o mergulho emocional é cada vez mais profundo. No final, as drogas vão destruir completamente a criatividade da pessoa.

Durante o tempo em que estava drogada, pensava que tinha controle sobre a minha vida e que estava bem. Porém, destruí tudo o que tinha construído e tudo pelo qual lutei na minha vida. Cortei os laços com todos os meus amigos que não eram usuários de drogas e com a minha família, portanto, os únicos amigos que tinha eram os ‘colegas usuários’. Todos os dias eu pensava numa única coisa: no meu plano para conseguir o dinheiro de que precisava para as drogas. Eu fazia qualquer coisa possível para conseguir o meu rebite — era a única coisa na minha vida.” — Pat

Sentia que era mais divertida quando estava bêbada. Logo após eu ter começado a beber, me ofereceram maconha... Mais tarde, quando estava fumando maconha na casa de um amigo, alguém apareceu com um saco de cocaína. Cheirar cocaína tornou-se rapidamente um hábito diário. Eu roubava diariamente dinheiro do negócio dos meus pais e dos meus avós para sustentar os meus hábitos de álcool, cocaína, maconha e LSD. Daí, me ofereceram OxyContin e comecei a usá-lo regularmente. Aí percebi que estava viciada, e cheirar OxyContin era parte da minha rotina diária. Precisava de algo mais forte — e parti para a heroína. Nada me impedia de ficar baratinada. O meu vício estava me vencendo. Sempre que eu tentava me livrar dele, a fissura física me forçava a usar mais.” — Edith